Ir para conteúdo do site

Ir para conteúdo

Prefeitura Municipal de Aparecida do Taboado - MS
Acompanhe-nos:
Facebook
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
FEV
06
06 FEV 2020
EDUCAÇÃO
Semana Pedagógica teve capacitação da rede de ensino nos casos de violência sexual contra crianças e adolescentes
Foto Noticia Principal Grande
Foto pequena 0
Foto pequena 1
Foto pequena 2
Foto pequena 3
Foto pequena 4

Na manhã desta quinta-feira, 06, a Prefeitura de Aparecida do Taboado deu continuidade à Semana Pedagógica, organizada pela Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, com uma capacitação da rede de ensino nos casos de violência sexual contra crianças e adolescentes. O evento, voltado para professores, coordenadores e diretores da rede municipal de ensino, ocorre no Centro Cultural “Professor Agrício José Tolentino” e segue até sexta-feira, 07.

A capacitação foi com realizada pela Juíza de Direito da Infância e Juventude, doutora Kelly Gaspar Duarte Neves e pela promotora de Justiça da Infância e Juventude, doutora Jerusa Junqueira Quirino e contou com a participação da psicóloga do CREAS (Centro de Referência de Assistência Social), Anna Carollina Batalha.

A secretária municipal de Educação, Maria Margarida de Matos, abriu a capacitação e agradeceu aos presentes, principalmente à juíza e promotora por levaram conhecimento aos educadores. O prefeito Robinho Samara também fez uso da palavra desejou que todos aproveitassem os ensinamentos e deu as boas vindas a todos ao ano escolar de 2020.

A juíza, doutora Kelly Gaspar, começou a capacitação ressaltando ter a expectativa de inclusão da Rede de Ensino Municipal e Estadual, na participação dos professores para auxiliar a rede “Protege”, criada em conjunto com o Poder Judiciário, MP, rede de proteção (Conselho Tutelar, CREAS, CRAS e Saúde) e a Polícia Civil.  Ela contou ainda que a capacitação para a Justiça Restaurativa foi iniciada no mês de novembro de 2019, com a participação de quatro professores de Aparecida do Taboado, após convênio firmado pelo prefeito Robinho Samara com o Tribunal de Justiça. “Estes professores serão difusores das informações obtidas e a Vara da Infância ficará responsável pela supervisão”.

Doutora Kelly explicou os vários tipos de violência e como funciona a rede "Protege". Ao falar sobre os tipos de violência, ela apresentou o abuso sexual intrafamiliar e incesto que acontecem no núcleo familiar; extrafamiliar, praticado por amigos, conhecidos ou até mesmo desconhecidos; e exploração sexual nas modalidades turismo, pornografia e tráfico humano.

Segundo informou a juíza, o abuso sexual não é praticado somente por pedófilos (aqueles que só sentem prazer se mantiverem relação sexual com criança), ele também é praticado por pessoas consideradas normais. “Não existe um perfil para identificar o abusador. Geralmente o abusador foi vítima na infância e adolescência, ou teve um trauma muito grande, ou tem dificuldades relativas à sexualidade ou distúrbio. Na grande maioria são pessoas amáveis ou sedutoras, que conquistam vítimas com presentes e elogios”, afirmou.

Ela ainda apresentou os fatores que ligam à violência sexual e salientou que antes de acontecer o abuso, costuma-se ocorrer outras situações, negligência de pai e mãe e abandono.

Anna Carollina, psicóloga do CREAS, afirmou que professores são a "ponta" para identificar casos. Inicialmente, ela explicou o atendimento oferecido pelo CREAS e seguiu apresentando o acolhimento, sensibilização e a forma de fazer o empoderamento da criança para amenizar o trauma. “As nossas crianças estão amadurecendo mais cedo e com esse amadurecimento elas vão ficando vulneráveis. Os professores precisam ficar atentos a qualquer mudança de comportamento. Em Aparecida do Taboado é alarmante o número de casos”, disse.

A psicóloga finalizou com a apresentação das consequências e pontos para a identificação.

A promotora, doutora Jerusa, explanou sobre os crimes, como abordar e encaminhar para a rede. "Quando o crime é sobre crianças e adolescentes independe da vontade do pai, mãe ou adolescentes. Os crimes têm que ser representados e diversas condutas configuram o abuso sexual e os crimes, não só a relação sexual, filmes, fotos, nudes, presenciar relação, toque, exposição da criança, tudo configura um crime penal com consequências graves", destacou.

Doutora Jerusa pediu a colaboração dos professores na escuta da criança abusada. Ela explicou que a legislação mudou e a atitude deve ser apenas ouvir, sem interrogar e acionar o Conselho Tutelar. “Teve conhecimento, aciona o Conselho Tutelar e este aciona a rede e a gente vai tomando as providências. A gente acredita no propósito da Lei e sabe a complexidade da criança estar revivendo isso. Vamos cuidar da criança, da família, mas eu quero que o abusador seja penalizado".

O protocolo é rígido e tem que ser observado. “Nos casos de suspeita, eu prefiro que a denúncia não seja anônima, porque quando tem a pessoa a gente consegue tirar elementos dali. É o nosso comprometimento que os professores e os agentes comunitários nunca serão citados na denúncia. Na linha de frente estamos nós. A gente só precisa que os senhores vejam e comuniquem", afirmou.

A juíza, doutora Kelly, finalizou a capacitação com a apresentação da Lei 1.3431/2017 que estabeleceu a escuta especializada e depoimento especial. Ela explicou que a escuta acontece na rede de proteção e é necessária para o encaminhamento do caso. Já o depoimento especial é feito com a criança, sendo ela ouvida separadamente no Fórum por uma assistente social capacitada, sendo tudo gravado uma única vez. A criança não tem contato com o abusador a partir de então.  É um protocolo feito pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça) e essa prova não será mais contaminada. Se houver depoimentos são de outros envolvidos. Vocês precisam passar casos suspeitos ou confirmados para que nós possamos intervir”.

A Semana Pedagógica teve início na quarta-feira, 05, com lotação dos docentes, reunião entre direção, coordenação e professores e informes gerais e lotação de carga suplementar de trabalho, para ocupação das vagas sobrepostas. As atividades terão continuidade nesta sexta-feira, 07, com a palestra “Inovação em Sala de Aula”, com o instrutor Carlos Alberto Santos Fette. Nos dias 10 e 11 será feita a lotação em cada unidade escolar e o planejamento para o ano de 2020.

Fonte: Assessoria de Comunicação
Local: Aparecida do Taboado
Newsletter
Cadastre-se e receba em seu e-mail nossos informativos
CADASTRAR
Brasao Rodape
ENDEREÇO
Rua Elias Tolentino de Almeida, nº 4098 - Jardim São Bento
CEP: 79570-000
ATENDIMENTO
Atendimento de Segunda-feira a Sexta-feira das 07:00 as 13:00 horas (horário oficial do estado de MS)
Seta
Copyright Instar - 2006-2020. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia